Casamento no Cama de Gato de Raquel e Danilo

Olá navegantes,

Diferente de outros textos que escrevo, dessa vez deixo com vocês as sabias palavras de Samuca, o celebrante e doutor de palavras que viram uma melodia:

“Danilo Vieira Mino Da Raquel: Boa tarde a todos e todas,

Me escolheram pra celebrar essa união tão importante e diante disso é com muita honra que aqui estou nessa tarde bonita e importante pois é um dia em que viemos aqui celebrar o amor. Celebrar a existência do amor, a sua perpetuação e tudo que o compõe. 

Raquel Miranda, Danilo Vieira. O famoso casal Ranilo. Já é um casal tão interessante e delicioso que já chegou chegando lançando essa moda da junção dos nomes né. Depois deles vieram Brangelina, Brumar, etc. E reparem que nenhum deles soa tão gostoso como Ranilo. Até no nome vocês foram feitos uns para os outros meus amores.

Brincadeiras à parte, hoje eu gostaria de destacar algumas coisas que todos e todas presentes provavelmente vão concordar comigo:

São 7 anos de união. Aí paro e penso: nossa já fazem 7 anos que eles se aturam e ainda continuam dando passos mais adiante, mais fundos, querendo mais. A celebração dessa tarde é prova disso. As cerca de 150 almas aqui presentes são prova disso. E o que faz dois jovens na flor da idade querem caminhar tão fundo? O que os motiva a seguirem adiante em tempos tão líquidos como os de hoje? 

Raquel e Danilo se conheceram via o Aguni, que era amigo dela e amigo do amigo dele. Depois de alguns encontros, um leve interesse mútuo e um carimbo de like feito por ela numa camiseta branca dele, se pegaram em meio a um porre típico dos tempos universitários. Pra nunca mais se largarem. Logo de cara ele já começou a levar ela pros roles da turma, na boemia das quintas ali na Vila Mariana e ela parecia que conhecia todo mundo de anos. Solta. Sagaz. Cheia de assunto. Como não se encantar pela Raquel, não? Da mesma forma com que ele fez e segue fazendo sucesso na galera dela. Sensível, inteligente e na época que chegou tinha um cabelo comprido, uma barba, um lance grunge cheiroso. “Gato pa caralho!” E Olha que coisa linda a vida é com todas as suas possibilidades né?! E se não fosse essa teia? E se não fossem alguns níveis de amizades em comum? E se não fosse aquela festinha no apartamento que ele quase não foi? A disposição dos 2 de em algum momento se permitir? Não teríamos Raquel e Danilo juntos? Que graça teria nossas vidas? 

E quando falo de graça vou muito além do fato de vocês serem maravilhosos, engraçados, espitituosos, amorosos, atenciosos. Vocês são um casal gracioso, na raiz mesmo da palavra. Talvez o casal mais leve que boa parte dessa plateia aqui conhece. E olha que eu vivenciei uma das primeiras brigas de vocês. Logo no comecinho. Só que até isso vocês sempre fizeram bem. Foi uma situação ali meio constrangedora pra mim, que tava só pegando uma carona, mas que foi resolvida de forma assustadoramente madura e calma pra um casal que tava só começando. Aquilo me chamou a atenção e eu saquei que aqui tinha algo especial. Mora na relação de vocês, no encontro de vocês, uma coisa que se chama respeito. E o respeito tem dois ingredientes fundamentais pra existir: coração aberto e ouvidos atentos. As brigas são mais diálogos do que brigas e quando viram briga mesmo, quando não há o consenso, vocês têm sabedoria suficiente pra silenciar. E se nutrir de tempo. 

“Tempo é pra perdoar

Que essa amoreira (essa árvore do amor)

Vai Madurar”

(Já diria o poeta, rs)

Mas não só tempo: ESPAÇO.

Faz 7 anos que vocês estão juntos e faz 7 anos que todo mundo aqui aprende com vocês que o amor mora na junção de duas individualidades ultra fortalecidas. Desde muito cedo vocês já estabeleceram essa dinâmica e se tornaram esse casal modelo pra tanta gente. Não que eu acredite muito nesse lance de modelo. Cada relação é uma, cheia das suas particularidades e nuances. Mas é a coisa mais bonita de ver, de viver perto o respeito que vocês têm pelo espaço do outro. Influencia sim! Vocês se amam porque amam o fato de o outro ter a sua vida e o seu espaço. Isso é sagrado! Amam viver as conquistas individuais de cada um. Aplaudir um ao outro. Amam que há e haverão noites em que vai cada um pra seu canto sair com círculos sociais difentes. Sem neura, sem coleira, sem gaiola. E Amar alguém é justamente sentir esse calor, esse siricutico delicioso e  inexplicável em ver o outro bem, independente de qualquer coisa. É a gente estar bem e por isso ter mais condições de fazer o outro feliz e vice-versa. Daí, apesar da brincadeira da junção dos nomes (Ranilo) na prática vocês juntos não são e nem fazem mesmo questão do clichê “somos 1”. Não, vocês juntos lindamente são 2. E ser dois nesse caso é o dobro. É potência, é mais capacidade. É muito mais legal, faz muito mais diferença. 

Vocês meus amores, diante de todas as qualidades e defeitos que tem, diante do fato de serem extremamente humanos, nos dão aula todos os dias. São professores, mestres. Esse relacionamento e esse amor de vocês se aplicado em massa na sociedade faria com certeza um mundo melhor. Um mundo de mais reciprocidade, de mais empatia e mais solidariedade. E essa é a forma que vocês, acidentalmente ou lucidamente, encontraram pra presentear o mundo, a gente que tá aqui ao redor e tá tendo essa oportunidade de aprender com vocês. Acredito em missões. Não acredito em coincidências. Vocês precisavam mesmo se encontrar. Parabéns por se permitirem, por estarem dispostos. 

E é então que eu refaço a pergunta que fiz a mim mesmo no começo do discurso: “o que leva dois jovens na flor da idade a quererem ir tão fundo?” e percebo que a resposta é mesmo essa: disposição. Disposição pra amar. Vocês são só amor porque são disposição. O verdadeiro amor nos nutre de disposição. E é fácil notar. E ela tá o tempo todo aqui. Tá aqui, agora, na minha frente, na ponta do meu nariz. Em tudo que vocês fizeram pra nós receber. Nos olhos brilhantes e manejados de vocês. No arrepio das suas peles quando se tocam. Naquela música do Danilo que a Raquel ama e vice-versa. Naquele prato que a Raquel ama e o Danilo aprendeu a amar e vice-versa. Nos sorrisos que se encaixam. Na quase mesma altura dos dois. Nas amizades somadas, compartilhadas, multiplicadas pela força de serem 2. Na magia das histórias cruzadas. Na simplicidade da vida. No poder mágico dos grandes encontros — O de vocês e todos esses outros que agora essa história de vocês nos permite viver. Em todo esse respeito que compõe esse amor e no tesão na vida que isso nutre. Ao contrário disso a vida seria muito ordinária. A de vocês é absolutamente extraordinária e assim será. Sem pressa, sem ansiedade e sem FOREVER. Um dia de cada vez. Aqui e AGORA. Que é só o que a gente tem.

A gente veio pro mundo pra aprender a amar. Não tem outra razão pra viver se não essa. E nisso meus amores, vocês conscientemente ou não, já são doutores. Almas antigas. Desfrutem, aprendam e ensinem. 

Pela responsabilidade (porque isso aqui não é  poder algum) a mim concedida e em nome de todos e todas aqui presentes em os agradeço, os reverencio, os celebro. 

Que seus guias e suas forças os levem adiante com graça e leveza!

Viva o amor!

Viva o nosso querido casal Ranilo! ♥”

Samuca

no comments
comentários

seu email nunca será divulgado ou compartilhado. *